CICLO PASCAL

Segundo o Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular, CNFCP, o Ciclo Pascal é um "tempo vinculado às atividades rituais cristãs como a Quaresma, a Semana Santa e a Páscoa, terminando em Pentecostes. O ciclo celebra a vida, a paixão, a morte, a ressurreição do Senhor, sua ascensão e a vinda do Espírito Santo". É um ciclo que tem início na quarta-feira de cinzas e termina no dia de Pentecostes. A quarta-feira de cinzas é a quarta-feira logo após o carnaval e o primeiro dia da Quaresma, onde os cristãos são convidados a fazerem um jejum de uma das refeições, geralmente o café-da-manhã, e se absterem retirando a carne vermelha da refeição principal, sendo substituída pelo peixe e frutos do mar. É um dia de penitência e oração pelo qual na "Missa de Cinzas" os cristãos são levados à reflexão a respeito da "conversão", com base na passagem bíblica de Gênesis 3, 19 "Pois tu és pó e ao pó tornarás". Essa reflexão é simbolizada pelas cinzas (cinza dos ramos das Palmeiras) que os padres e os ministros da eucaristia na Missa de Cinzas colocam com um sinal-da-cruz na testa dos fiéis dizendo: "Convertei-vos e Crede no Evangelho". A Quaresma, "parte do ciclo pascal que se inicia na quarta-feira de cinzas com periodicidade de 40 dias e termina na quinta-feira que antecede a Páscoa, é tempo de penitência, tal como proposto pela Igreja Católica, fazendo com que os ritos e cerimônias apresentem caráter religioso derivado de textos evangélicos e de conceitos populares europeus" (CNFCP). É um tempo reflexivo a respeito das más condutas e pecados para os cristãos. O cristão é chamado a "reconciliar-se" com Deus, a "voltar para a casa do pai" como diz a Parábola do Filho Pródigo nas escrituras (Lucas 15, 11-32), texto muito pregado nesse período. Durante a Quaresma as quartas e sextas-feiras são dedicadas a jejum e abstinência, café-da-manhã e abstinência de carne vermelha no almoço. Nesses mesmos dias da semana na Igreja Católica, as paróquias organizam as Via-Sacras, que são as estações, trajeto da paixão de Jesus Cristo na Cruz. Assim como mutirão de confissões convidando os padres de outras paróquias para atender a comunidade em geral pelo sacramento da Penitência (confissão). Vale ressaltar, alguns católicos que vivem sua fé intensamente fazem penitências e jejuns todos os dias da Quaresma, ou seja, durante os quarenta dias. Retiram não só o alimento, mas algo que mais goste de fazer, como assistir novela, por exemplo. E se penitenciam rezando o terço e ofício de Nossa Senhora todos os dias, por exemplo. No último domingo da Quaresma acontece a Missa de Ramos, conhecida por Domingo de Ramos, em que se celebra a entrada de Jesus em Jerusalém, os fiéis são convidados a levar seus ramos de palmeira para serem benzidos na celebração da missa. Encerrando a Quaresma inicia o período da Semana Santa que vai da quinta-feira ao domingo. A quinta-feira santa é realizada a Missa de Lava-pés, simbolizando o episódio da Bíblia em que Jesus lavou os pés dos apóstolos, levando uma reflexão da "humildade e do perfil do servo do senhor". Na sexta-feira santa, conhecida como sexta-feira da paixão, é celebrada a paixão e morte de Jesus Cristo com a Celebração do Senhor Morto com a popular "Procissão do Senhor Morto" pelas ruas da cidade ou vindas de comunidades vizinhas. “Tem, tem a procissão que tem aqui, que vem de Craíbas pra aqui, na sexta-feira santa. Elas vêm de Craíbas pra aqui, fazendo a oração da cruz, acontece, bastante gente, maravilhoso, sai 4 horas da manhã de Craíbas pra chegar aqui. Eu não sei dizer, quanto tempo demora, sei que eles saem 4 horas e vem chegar aqui de 6 horas, dai o pessoal da comunidade, se arreune aqui e faz reza o oficio da paixão, as mulhé, reza o oficio da paixão, enquanto não chega o pessoal, ai quando chega o pessoal, é a adoração da cruz, que não tem missa né na sexta-feira santa, só a adoração da cruz, ai é bastante gente, bastante mesmo, todo ano, toda sexta-feira santa.”(Gilvanete Pinheiro, em entrevista). No sábado, conhecido como sábado de aleluia, é o dia do silêncio, o dia em que se espera a ressurreição do Senhor Jesus. Nesse dia acontece a Vigília Pascal, geralmente as 22h00 encerrando as 00h00com a alegria de um Deus que ressuscitou. No domingo, o popular domingo de páscoa ou domingo da ressurreição, se comemora o que está escrito na Bíblia em que Jesus Cristo iria ressuscitar no terceiro dia de sua morte. Então, vai ser nesse domingo a celebração da Ressurreição de Jesus Cristo, momento de alegria para a comunidade cristã. Há toda uma culinária voltada para esse período de Semana Santa. São as tradicionais comidas típicas no coco como o "feijão no coco", "arroz no coco", "bacalhau no coco", "sururu no coco", "peixe no coco", a famosa "umbuzada" (bebida feita da fruta umbu com leite de coco), a cocada, o vinho (bebe-se a noite), o tradicional "pé-de-moleque", “bolo de mandioca” (massa puba) feito artesanalmente, "[Para fazer a massa puba] pega a mandioca coloca dentro d’água, passa uns cinco a seis dias para fubá. Lava e coloca para secar e depois rala. Depois enxuga, seca e depois prepara com leite de gado, leite de coco, manteiga, açúcar, pouco sal , canela, ovos. Leva para a casa de farinha e bota para assar com a palha da bananeira, no forno de barro a lenha. Em casa, com fogo de carvão ou no forno normal, travessa de alumínio, palha de bananeira e vira de um lado e de outro". (Maria Helena, em entrevista). Além das comidas típicas as pessoas mais antigas têm certos costumes nesse período, como não tomar banho na sexta-feira santa, não cortar o cabelo, não pintar as unhas ou passar batom, por exemplo. E na sexta-feira santa também muitas comunidades fazem o "Judas", figura do apóstolo que traiu Jesus feito em boneco de pano e tronco de árvore. O "Judas", em algumas comunidades rurais, aparece nas ruas em cima de algum animal (cavalo, vaca, boi, ovelha) por volta das 00h00 sendo motivo de entretenimento para todos. Após a Semana Santa, inicia o período da Páscoa do Senhor Jesus. Passando o período de cinquenta dias da Páscoa, acontece o dia de Pentecostes, onde a Igreja Católica celebra a vinda do Espírito Santo nos apóstolos, como está escrito em Atos dos Apóstolos 2. É um momento de alegria, pois a Igreja celebra o seu novo nascimento, pois o Espírito Santo completa a terceira pessoa da Trindade Santa e é o que dá "vida nova" a toda a Igreja, como assim pregado. Fechando assim o Ciclo Pascal, a Igreja passa para seu Tempo Comum. Nesse Ciclo Pascal, especificamente no período da Semana Santa acontecem as Encenações da Paixão de Cristo.