TORÉ

O Toré é uma forma de expressão indígena que se materializa através da dança, do canto e do uso dos instrumentos musicais, como o Maracá (Cabaça/Maraca) e a flauta. É um rito, pois se caracteriza por um sistema de ações em que predomina o aspecto simbólico. Embora os ritos não sejam sempre ligados à religião, no caso do Toré trata-se também de um ritual de culto. No Toré se trabalha com os Encantados de luz, que são mensageiros da Jurema (GERLIC, 2011). O Toré é ciência indígena, onde se aprende rezas, costumes e sabedoria. Esta forma de expressão não limita idade nem sexo, possui também outras finalidades , como, por exemplo, velar mortos e celebrar casamentos ou nascimentos. Acontece sempre no terreiro da aldeia e pode ou não ter roupas características. Guarda aspectos espirituais, rituais e recreativos. Ainda que como festejo em uma celebração, não se pode considera-lo meramente lúdico. Apesar de guardar forte aspecto de fenômeno religioso, o toré não se manifesta exclusivamente em conexão com o sagrado, podendo ser considerado, uma forma de expressão plural. O antropologo Siloé em entrevista para este projeto revelou que antes de se tornar um quesito central para o reconhecimento de comunidade Indígena por parte da FUNAI, nem todos os grupos indígenas possuíam ou realizavam o toré, após insitucionalização dessa exigência oficial, todo grupo que pleitiava o reconhecimento de terra indígena passou a realizar um toré, geralmente, copiado de um grupo vizinho que já detinha essa forma de expressão.

marca2.png